O lado obscuro de Charles Dickens

Charles Dickens

Charles Dickens foi um romancista importante da era vitoriana. É considerado o melhor autor do século XIX. Suas histórias marcaram inúmeras gerações com as suas críticas sociais através da literatura. Era disciplinado e costumava trabalhar quase todas as noites.

Para quem gosta da boa literatura nunca imaginou que Dickens teve um lado obscuro. E não é para menos, afinal, teve sua imagem ligada a boa literatura, no entanto, tentou encarcerar a sua mulher, Catherine, num manicômio. Esse comportamento deplorável foi causado por um romance com a atriz Ellen Ternan.

É um cenário difícil de acreditar, afinal, Dickens fez coisas memoráveis ao longo de sua vida, porém, o lado obscuro emergiu e rompeu um matrimônio de 20 anos. Catherine Dickens viveu nos últimos 20 anos numa pequena casa na zona norte de Londres. Tinha fortes dores que tratava com doses de morfina.

Dickens era cuidadoso com a sua imagem. Promovia a destruição de seu casamento em função de supostos problemas mentais de sua esposa. E naquela época, com alguma influência, Dickens tentou encarcerar a sua esposa num manicômio.

É claro que essa suposta internação de sua esposa era para desfrutar o seu relacionamento com a atriz Ellen Ternan, afinal, Dickens descobre que a sua esposa não lhe agradava mais. A sua jovialidade havia desaparecido, teve 10 filhos, enfim, um casamento acabado.

A sua obra, Grandes Esperanças, parece remeter para o seu lado obscuro, e na forma literária tenta demonstrar sua culpa e vergonha por suas ações deploráveis. Dickens tornou-se uma estrela literária, morreu com apenas 58 anos. Publicou inúmeras obras e contos.

Principais obras

Oliver Twist1839

– Um Conto de Natal – 1843

– David Copperfield – 1850

– A casa soturna – 1853

– Um conto de duas cidades – 1859

– Grandes esperanças – 1861

– O mistério de Edwin Drood – 1870

Contos

– Retratos Londrinos

– A Christmas Tree

– Doutor Marigold

 

Via El País