O Gato Preto – Edgar Allan Poe

Perversidade

“No entanto, não estou mais certo da existência da minha alma do que do fato que a perversidade é um dos mais impulsos do coração humano.”

Narrado em primeira pessoa o conto O gato preto, do escritor americano Edgar Allan Poe, traz a loucura e a pertubação humana num terror psicológico característico da escrita de Poe.

Os personagens não tem nome, exceto o gato preto que se chama Plutão, e a história começa com um casal que nutrem o amor pelos animais tendo vários deles um peixe, um cão,  um gato preto.

O marido era apaixonado por animais e os tratava com muito carinho, e quando aquele gato preto surgiu não seria diferente, no entanto, alguma coisa mudou e o álcool foi o gatilho para a mudança de comportamento.

Crescia dentro desse homem um ódio que não conseguia disfarçar e a bebida foi a alavanca para maltratar os animais. Plutão foi uma vítima desse terror e tem seu olho arrancado pela fúria desse crápula.

Decide, tempos depois, enforcar o gato sem que esse desse algum motivo excepcional e a partir dessa tragédia alguns acontecimentos sinistros acontecem. Sua casa é incendiada e a imagem do gato preto aparece na única parede que não foi atingida pelo fogo.

Como num filme de suspense outro gato preto surge, parecido com Plutão, na vida desse casal e a única diferença era uma mancha branca que lembrava uma forca e com o aparecimento desse gato o narrador volta a ter comportamentos descontrolados.

Decide matar esse gato e a sua esposa tenta interferir, no entanto, um golpe de machado ceifa a vida dessa mulher. Para não levantar suspeitas decide emparedar o cadáver. Parece que o homem não sentiu remorso pela morte da esposa, mas ficou muito feliz em saber que o gato preto desapareceu.

Após alguns dias recebe agentes policiais em sua casa e prontamente os atende e quando tudo parecia resolvido o narrador decide mostrar a construção da casa, o quão resistente era.

Para isso bate na parede justamente onde o cadáver se encontrava e um grito sinistro e nebuloso de uma criança surge. Os policiais decidem derrubar a parede e para surpresa, o cadáver da esposa aparece como uma cena de terror e sob sua cabeça o  gato preto deixando todos em polvorosa.

“Eu havia emparedado o monstro dentro da tumba!”

 DNA do livro

Segundo alguns estudiosos gato preto é um animal relacionado às trevas, personificação de bruxas, enfim, um animal que é a personificação do mal, da escuridão, bem como era a cor dos soberanos do mundo subterrâneo.

Na Grécia antiga, Hades o deus dos mortos, não tinha seu nome pronunciado, os gregos o chamava de Plutão, O Rico, um nome que simbolizava as riquezas do mundo subterrâneo.

Talvez se explica o motivo do único personagem que tinha nome, Plutão o Gato Preto.

Poe trouxe um terror psicológico com esse conto, enfatizou com a superstição de um gato preto todo o horror que a perversidade humana pode ter. Será algo inerente ao ser humano?

O que você faz quando um gato preto aparece na sua frente?

A mitologia serve para explicar comportamentos humanos?

Obra recomendadíssima.

Notas do Autor

Edgar Allan Poe nasceu em Bosto no dia dezenove de janeiro de 1809 e morreu em Baltimore no dia sete de outubro de 1849. Foi escritor, poeta, editor e crítico literário americano.

Poe foi considerado um dos primeiros escritores americanos de contos. É considerado inventor do gênero ficção policial. Sua carreira literária foi permeada por dificuldades, no entanto, suas obras influenciaram a literatura americana e ao redor do mundo.

Fontes de conhecimento

Unimep

UFRGS

Áudio Book