A Máquina do Tempo

A-Máquina-do-Tempo2 A Máquina do Tempo“A Máquina do Tempo” (Editora Alfaguara, 2010, 148 páginas), do autor de ficção científica H.G. Wells é uma aventura através dos tempos.

A viagem no tempo sempre permeou a humanidade por muito tempo e até hoje é objeto de discussões entre as comunidades. Você, por exemplo, já imaginou fazer uma viagem dessas?

A história começa com o Viajante do Tempo explicando sobre a possibilidade de viajarmos até a dimensão adicional chamado Tempo para um grupo de pensadores.

Para ele existem quatro dimensões que constituem os três planos do Espaço, Altura, Espessura e uma quarta dimensão, o Tempo.

“Não existe diferença entre o tempo e qualquer das outras três dimensões do Espaço, exceto o fato de que nossa consciência se desloca ao longo dele.”

Há por parte desse grupo, grande desconfiança dessa possibilidade o que faz nosso viajante ser mais incisivo em suas explicações e até mostrar o protótipo de uma Máquina do Tempo.

A verdade é que o grupo não acreditou na possibilidade de existir uma máquina que pudesse levar ao longo do tempo.

O fato é que o viajante contrariando a incredulidade dos pensadores fez uma viagem para o ano de 802.701, um futuro distante que mostrou-se bastante perturbador.

“Foi às dez horas da manhã de hoje que a primeira Máquina do Tempo começou sua carreira. Fiz uma revisão geral, apertei todos os parafusos, pus mais uma gota de óleo na alavanca de quartzo e me acomodei no assento. Creio que um suicida, ao encostar na testa uma pistola, sente a mesma curiosidade que eu experimentei naquele instante: o que iria acontecer em seguida?”

O século XIX foi um século marcado pela industrialização e explosão de vários pensadores que por meio de estudos e teorias prometiam melhorar a qualidade de vida das pessoas.

A introdução da psicologia de Freud prometia resolver as questões internas do homem. As teorias Marxistas prometiam resolver questões sociais.

Enfim, uma época marcada pela busca do bem-estar do homem e que nos dias atuais não é diferente já que com a informatização buscamos a todo custo melhorar o modo de vida e formar um modelo de homem superior.

H.G. Wells com sua obra encontra no ano de 802.701 uma sociedade sem problemas e aparentemente feliz, porém, sem grandes questionamentos, uma sociedade inerte e alienada a falsa impressão de todos os problemas humanos resolvidos.

Embora o que o Ser Humano busque é o seu bem-estar é fato que conseguimos grandes descobertas através da curiosidade inerente ao homem e na sociedade descrita no livro A Máquina do Tempo não parece ser a tônica.

Quanto vale para o ser humano buscar a todo custo minimizar seus conflitos internos e deixar de lado outras reflexões?

É fato que é uma obra com várias reflexões que não ficam apenas nas 148 páginas por isso convido você a compartilhar suas reflexões nesse espaço.

Boa Leitura.