Fetiche Comunista: Uma realidade brasileira

Censura do livro Meninos Sem Pátria de Luiz Puntel

Nunca entendi esse fetiche comunista que o brasileiro alardeia mundo afora. Talvez nas décadas da Guerra Fria até poderia se justificar algo do tipo, porém, nos dias atuais não faz nenhum sentido, afinal, o muro de Berlim caiu em 1989. Recentemente o livro Meninos Sem Pátria de Luiz Puntel foi censurado numa escola carioca, por suposta doutrinação comunista.

O livro que está em sua 23º terceira edição retrata um período sombrio da história brasileira, inspirado na história do jornalista José Maria Rabelo que foi perseguido pela ditadura militar  e obrigado a se exilar do país. O livro faz parte da Série Vagalume voltada para o público infantojuvenil e já vendeu mais de um milhão de exemplares ao longo de três décadas após o lançamento.

Puntel explica que a obra traz um retrato histórico do Brasil e que a hipótese levantada não faz nenhum sentido para a censura de sua obra nesse colégio. O fetiche brasileiro por uma possível intervenção comunista não faz sentido e só se compara aos jovens que fazem alusão ao período sombrio do Brasil. O que pensar sobre isso?

Não tenho a menor ideia do que está por vir. Peço a Deus que de uma chance ao Brasil e que o fantasma da Ditadura, Intolerância e Ódio não se concretize. A jovem democracia brasileira precisa de oxigênio, pois está na UTI precisando de cuidados médicos.

 

DNA do Autor

Luiz Puntel é um escritor brasileiro nascido em Guaxupé em 1949. Conhecido por escrever várias obras para a Série Vagalume é formado em Letras, com especialização em francês. Seu livro O Grito do Hip Hop foi indicado ao prêmio Jabuti de Literatura Juvenil em 2005.

 

Capa

MENINOS_SEM_PATRIA_1287952766B Fetiche Comunista: Uma realidade brasileira

 

 

Título: Meninos Sem Pátria

Autor: Luiz Puntel

ISBN: 9788508027699

Páginas: 127

Editora: Ática

Nota Skoob: 3,7

 

 

 

Via: El País

Via: Wikipédia

 

 

Comments

comments