A culpa é das estrelas

A-Culpa-é-das-Estrelas-John-Green A culpa é das estrelas

Você se sente culpado?

“A culpa, caro Brutu, não é de nossas estrelas, mas de nós mesmos, que somos subordinados.”

O livro de grande sucesso do escritor John Green “A culpa é das estrelas” (Editora Intrínseca, 2012, 288 páginas) traz uma história cheia de emoções e a abertura para reflexões quando se está com problemas sérios de saúde.

Sim caros leitores, A culpa das estrelas é um livro do gênero Sick-lit ou literatura enferma que aborda temas relacionado a problemas de saúde física e psicológica e normalmente o enredo é protagonizado por jovens que passam por sofrimentos difíceis de suportar.

Na esteira dessa explicação, A culpa das estrelas é uma história em que dois jovens, Hazel e Gus, estão com câncer. Hazel enfrenta essa doença desde os treze anos e a grande preocupação dela é saber quando ela irá morrer, pois ela se sente uma granada que pode causar sérios danos as pessoas que estão ao lado dela.

“Eu sou uma granada e, em algum momento, vou explodir, e gostaria de diminuir a quantidade de vítimas, tá?”

Augustus Waters, Gus, é outro personagem que tem câncer e por conta disso teve uma perna amputada, personagem que gostei muito, já que me passou a impressão de lidar muito bem com a doença, senti que foi um ponto de equilíbrio na história.

Hazel e Gus se conhecem num grupo de apoio e a história amorosa ganha contornos interessantes, pois os dois personagens têm características diferentes, Hazel é preocupada em não machucar as pessoas quando morrer e Gus se preocupa em deixar uma marca no mundo. Augustus teme o esquecimento.

Vou parar por aqui, pois há inúmeras resenhas desse livro que são excelentes, que retratam, inclusive, outros personagens igualmente importantes para o desenrolar da história. Prefiro falar sobre o que foi pra mim o cerne dessa história: O medo da morte.

Hazel e Gus passavam a viver intensamente quanto possível mesmo sabendo que a qualquer momento a morte poerá chegar e leva-los.

“Por que ter medo da morte? Enquanto somos, a morte não existe, e quando ela passa a existir, nós deixamos de ser.” Epicuro

O medo nos protege de situações arriscadas, ou seja, é um mecanismo de proteção. Você percebeu isso na história?

A causa do medo é o desconhecimento?

O que vai acontecer?

Pra onde vamos?

Existe Céu ou Inferno?

Enfim, são questões que merecem reflexões porque são dúvidas que o ser humano tem e não temos uma resposta adequada. Quando resolvi escrever essa resenha preferi dar outro enfoque diferente das muitas que li e ouvi.

O fato é que quando um livro é escrito tenho a impressão que esse livro não é mais do autor e sim dos leitores que interpretam e dão, conforme suas experiências de vida e de leitor, uma nova forma a obra.

Eu estava numa expectativa muito grande pela quantidade de resenhas e podcasts que li e ouvi e confesso que não superou, porém, foi uma leitura prazerosa e rápida numa linguagem simples e direta.

Logo, fui contaminado pela quantidade de informações que recebi a respeito dessa obra. Não assisti ao filme e espero que consiga superar as minhas expectativas, pois quero ver como os personagens foram construídos nas telonas.

Enfim, recomendado, por tratar-se de uma obra com excelentes críticas e que fez muita gente chorar, bem como possui uma linguagem simples e direta de um assunto tão sério.

DNA do livro

A Editora Intrínseca está de parabéns pela qualidade do livro. A capa foi bem feita, as páginas do livro são de ótima qualidade. O que me chamou a atenção foi a tradutora da obra, Renata Pettengill, que fez um trabalho maravilhoso.

Acredito que seja muito difícil traduzir uma linguagem jovem de outro país para a língua portuguesa e ela fez muito bem essa tradução. Nota Dez.

Notas do Autor

  • Nascido em 24/08/1977;
  • Nasceu em Indianápolis, EUA;
  • Frequentou a Lake Preparatory Scholl;
  • Formou-se pela Kenyon College em 2000 com diploma em Inglês e Estudos Religiosos;

Em 2007 criou com seu irmão Hamk o Vlog chamado Brotherhood 2.0, meio utilizado por eles para comunicação.

Fontes de conhecimento