Resenha: Mona Lisa Overdrive – Willian Gibson – Editora Aleph

Mona Lisa Overdrive

Mona Lisa Overdrive do escritor Cyberpunk, Willian Gibson, é o último livro da trilogia Sprawl publicado pela editora Aleph em 2008 com 320 páginas.

O livro retoma alguns elementos do primeiro (Neuromancer) e do segundo livro (Count Zero), bem como alguns personagens dos dois livros.O cenário é um aprofundamento Matrix que é uma espécie de conexão coletiva dos seres humanos nesse sistema para saber tudo. Os estímulos provocados pela Matrix na qual os seres humanos podem se conectar com personagens e vivenciá-los. Esses estímulos são provocados pelo Stim.

Simstim: no original, “simulated stimuli”, ou seja, estímulos simulados. Pode ser abreviado simplesmente para stim. (Mona Lisa Overdrive, página 318, Editora Aleph.)

Angie Mitchell é uma das personagens retomadas, e no terceiro livro ela é uma das estrelas do Stim na qual tem poderes especiais para se conectar com o Ciberespaço sem a utilização de qualquer equipamentos. Mona é uma prostituta que sonha com uma vida melhor e esse dia chega quando a oferecem uma oportunidade única.

A filha de um dos chefes da Yakusa, Kumiko, foge do Japão para a Inglaterra a fim de evitar a guerra que acontece no país oriental.

 

DNA da obra Mona Lisa Overdrive

A história é composta por três histórias que alguma vezes mostram as ligações entre elas. A primeira delas é envolvendo a Mona que tem semelhanças físicas com a Angie Mitchell que é a grande estrela do Stim. Mona espera uma oportunidade na vida e ela chega, por meio de pessoas misteriosas ela é contratada para um serviço oculto que mais tarde ela descobre ser um plano para sequestrar a Angie Mitchell.

A segunda história envolve a filha de um chefe da Máfia Japonesa Yakusa. A Kumiko é enviada para Londres para escapar da guerra entre as máfias japonesas. Em Londres é protegida por um mafioso que é um dos capangas de seu pai. Kumiko conhece Molly Millions que adotou outro nome para escapar de pessoas que a perseguiam. Agora o seu nome é Sally Shears. Sally decide proteger a Kumiko dos mafiosos que a perseguem.

A última história retrata Slick Henry que vive numa Fábrica. É um ladrão de carros que foi punido por inúmeras lavagens cerebrais e por conta delas ele passou a criar estruturas robóticas. Slick foi contratado para cuidar do Bobby Newmark que se conectou a um Cyber-disco chamado Aleph.

Alpeh: primeira letra de diversos alfabetos semíticos, é também uma constante matemática criada por Georg Cantor que representa conjuntos de números cardinais transfinitos; termo consagrado pelo escritor  Jorge Luis Borges, significando a concentração máxima de informação em um único ponto do espaço.

 

Questão de opinião da obra Mona Lisa Overdrive

A obra de Willian Gibson é uma obra arrastada e a sua progressão não é tão clara. Foi um livro que demorei muito para terminá-lo. A conexão dos personagens com as outras obras não ficou clara. O cenário onde se passava a narrativa  foi bem destacada, ou seja, grandes corporações no lugar do Estado, personagens com QI elevado que utilizava o seu conhecimento para combater as poderosas empresas e a cultura desses personagens que se refletiam nas roupas que usavam.

A descrição de alguns personagens ficou aquém do esperado. O exemplo disso foi o Conde que não consegui compreende-lo. Outro personagem de difícil compreensão foi o Slick Henry que não foi bem apresentado. Talvez pela demora para terminar a leitura dessa obra muitos pontos ficaram para trás. É um tipo de livro cuja leitura deve ser feita com atenção redobrada e sem intervalos.

É claro que a trilogia Sprawl deverá relida, pois há muito mais escondido do que as coisas que li, afinal, Willian Gibson é um representante importante da cultura Cyberpunk. Mona Lisa Overdrive tem elementos importantes desse movimento que deixei passar, aliás, a próxima leitura deve ser feita com muita atenção e poucos intervalos e ter como foco as minúcias da obra. Até lá fica, a minha resenha fica com lacunas a serem preenchidas que em breve serão corrigidas.

 

Capa

Mona Lisa Overdrive

 

 

Título: Mona Lisa Overdrive

Autor: Willian Gibson

Tradução: Carlos Irineu

ISBN: 9788576570516

Páginas: 320

Editora: Editora Aleph

Nota Skoob: 4,1

 

 

 

Até a próxima

wilson-brancaglioni-png