Mais Perto do Coração, pela CHIADO Editora, de Portugal

Sinopse: Mais Perto do Coração

Mais Perto do Coração, Marina é uma pequena menina que vive em um mundo separado em cores. Um dia a menina recebe de um amigo um presente misterioso que a deixa curiosa. Ela então decide corajosamente viajar sozinha em seu barco em busca de respostas. Em seu caminho, Marina faz novas amizades e descobertas, com muitas aventuras que irão colorir e mudar o seu mundo para sempre.

 

Resenha: Mais Perto do Coração

Em seu interessante livro Renata S Tourinho conta uma história que abrange pessoas e lugares, fazendo com que os leitores tentem descobrir o lugar em que estão, muito embora possam, ao final, constatar que sempre estiveram no mesmo lugar, em um planeta muito bonito e interessante.

No livro, Mais Perto do Coração, Renata conta a história de Marina, uma menina cor-de-rosa, de cabelos cacheados e de olhos bem fortes, uma pequena menina que vive em um mundo separado em cores. Um dia ela recebe de um amigo um presente misterioso que a deixa curiosa. Ela, então, decide, corajosamente, viajar sozinha em seu barco, em busca de respostas. Em seu caminho faz novas amizades e descobertas, com muitas aventuras que irão colorir e mudar o seu mundo para sempre.

Outro personagem interessante é o menino Pedro, de cor azul e cabelos azul-escuro, como os seus olhos, morando num país todo azul, que Marina encontra em sua aventura. Maravilhados os dois com suas próprias cores, azul e rosa, resolveram viajar juntos, navegando em Sonho e Aventura, nomes dos barcos e da vida.

Para entender o a mensagem que o livro, Mais Perto do Coração, transmite é preciso lê-lo, de preferência com as crianças, pois, segundo Renata, no mundo antigo, antes da viagem dessas crianças, as pessoas viviam separadas por suas diferenças – ou por suas cores-, cada qual amando apenas uma cor. Mas como passaram a se conhecer melhor, num mundo todo colorido, um novo mundo surgiu, pois todas as cores, unidas, ficaram mais perto do coração.

Sobre a autora Renata S Tourinho

Nascida no Rio de Janeiro aos 29 de junho de 1971, Renata S Tourinho é artista plástica e artesã. Desde a infância tem grande gosto pela leitura e a escrita. Como aluna foi premiada pelas suas redações criativas. Sua paixão por escrever aumentou depois do nascimento de seus filhos, para quem gosta de criar pequenos contos. Tendo morado em várias cidades diferentes do Brasil e também no exterior, Renata encontra nas pessoas e nos lugares por onde passa a sua inspiração para escrever.

A autora do livro “Mais Perto do Coração” tem escrito no Blog do Gabinete Português de Leitura (Salvador).

“Sobre Escrever um livro e Realizar Sonhos”

Eu guardava já há um bom tempo o sonho de ser escritora. Resolvi dar cabo ao sonho e realizá-lo. Cá estou eu, com um livro já lançado, a tornar-me escritora, autora. Há quem pense que é só “glamour’, que tudo é muito fácil, que cai do céu e chega a desdenhar. Mas não é bem assim. Realizar o sonho de escrever um livro, ou realizar qualquer sonho, costuma dar bastante trabalho. Deixe-me contar sobre como é a experiência de lançar um livro.

Tudo surge com uma ideia. Então você começa a tentar dar forma a essa ideia por meio de um texto. Você anota ideias em um papel ou no notebook. Risca tudo o que anotou, começa outra vez. Risca de novo, vai salvando o que acha que dá certo. Leva hora, dias, meses para conseguir escrever um original. Isso porque você escreve e reescreve, reescreve, reescreve… Você relê seu próprio texto dezenas de vezes, e cada vez que você relê, encontra erros.

Uma frase que ficou mal explicada, uma ideia que não ficou muito clara, e assim vai. Esse trabalho toma tempo, exige pesquisa e muita leitura, paciência e determinação. Quando finalmente você dá o texto por terminado e coloca o ponto final, você chora. Você conseguiu, escreveu uma história, deu vida à personagens, viveu com os mesmos em seu coração enquanto escreveu. Enfim, terminou.

Depois de um tempão de trabalho, você se enche de esperança e coragem, e resolve escrever para uma grande editora na tentativa de enviar o seu original para aprovação. Se a editora aceitar, você não perde a oportunidade e envia seu texto. Aí, você passa dias roendo as unhas esperando por uma resposta.

Será que o original será aceito para edição? Será que me dirão um “não”? Então você duvida de si mesmo, sofre de ansiedade, tem medo da rejeição. E chora. Afinal, sua alma e seu coração foram enviados à editora junto com o texto. É isso que um autor faz, coloca no texto o que sente, o que pensa, a sua visão e emoção. Não, meus caros, não é nada fácil expor-se assim.

 

Alegria

Finalmente vem a resposta da editora: Seu original foi aceito para edição! Então você pula de alegria e volta a acreditar em si mesmo. Você acha que o trabalho acabou aí? Não, nem começou. Vem então as negociações. Você lê e relê um monte de vezes os termos do contrato da editora. Pede ajuda para alguém que entenda melhor aquilo tudo. Tenta negociar. Aí você assina tudo, e paga uma parte. Isso, primeiro você tem que arcar com uma parte da despesa, é assim que funciona em qualquer editora. Ainda bem que você trabalhou antes para juntar essa grana que vai precisar investir. Depois que você assina e contribui com a sua parte, você começa a fazer as contas e tenta imaginar quando é que você vai conseguir recapitalizar-se. Você chora novamente. Bastante. Aí você diz a si mesmo que vai ficar tudo bem e tenta manter a calma.

Tudo acertado, começa o trabalho da editora. Você espera com paciência durante as semanas em que seu livro, Mais Perto do Coração, vai para a paginação e a produção da capa. Todo dia verifica o e-mail e o telefone na esperança de uma notícia. Quando você não aguenta mais de ansiedade, finalmente mandam a primeira prova da capa e da paginação para que você possa examinar e ver se está tudo de acordo. Se a editora é realmente boa (a minha é a melhor, ainda bem), então você não terá muito trabalho com isso.

Você relê seu original mais algumas vezes, vê que ainda havia um ou outro errinho bobo para consertar no seu próprio texto, faz as anotações e manda tudo de volta para a editora. Então você espera mais alguns dias. A editora manda de volta a paginação e a capa para você aprovar. Você se emociona ao ver seu livro ganhando vida. Vê a capa com o título que você deu à sua obra, o seu nome e o nome da editora. Vê sua foto na orelha da capa, seu texto agora organizado no formato de um livro. E você chora. Chora de emoção, de alegria. Chora porque seu livro já está perto de nascer, seu sonho está a se realizar. Então você aprova capa e paginação e enfim a obra vai para a gráfica.

 

Paciência

Agora aguarde com um pouco mais de paciências por uns dois ou três meses. Durante esse tempo, você estará em contato com diferentes pessoas da editora, responsáveis por diferentes setores. Desde a edição, passando pela parte comercial, financeira e distribuição. Você tenta entender quem é quem. Escreve e-mail e encaminha para o setor errado. Fica achando que passou vexame.

Tenta entender o processo todo. Não vê a hora do livro ficar pronto. Quase infarta algumas vezes. Melhor começar a escrever logo outro livro, assim você não pensa tanto nesse. O tempo passa e você sonha com o livro, Mais Perto do Coração. Sonha dormindo e acordado. Imagina como será quando estiver com ele pronto nas suas mãos. Imagina como será o dia do lançamento.

E você continua em contato com a editora para saber o andamento de todo o processo. Envia mais alguns e-mails para o setor errado. Não faz mal, respondem assim mesmo.

 Quando você já está quase tendo um troço (tiro por mim que todo autor, pelo menos o de primeira viagem, é um ser muito ansioso), recebe uma mensagem da editora dizendo que seu livro deixou a gráfica e está a caminho de sua casa. Você aguarda com o coração na mão até que os seus exemplares cheguem. Quando chegam, você abre a caixa onde foram transportados os livros, já chorando. Sim, aí a emoção toma conta e você chora para valer. É o seu livro que está ali, pronto, lindo, nas suas mãos. É um filho que nasceu. É um sonho se realizando. É muito amor envolvido, como dizem.

 Agora que você está com o livro pronto em suas mãos, acha que acabou o trabalho? Não, não. Mal começou. Vem então a busca de um lugar e uma data para fazer o evento de lançamento. Você vai ter que fazer uma boa pesquisa, andar muito, falar com um monte gente, dar incontáveis telefonemas, mandar um monte de e-mails… até achar um lugar adequado e uma data que sirva. Avisa à editora quando será. É preparado o material de divulgação. E você começa o trabalho de divulgação. Vai andar muito, falar com um monte gente, dar incontáveis telefonemas, mandar um monte de e-mails…

 

Ansiedade

Chega o dia! Esse dia sim é uma festa, mas também é fonte de ansiedade. Será que os convidados virão? Será que comprarão o livro? Será que vai dar tudo certo? Melhor abrir logo uma garrafa de espumante do coquetel ou corre o risco de você ter um treco. Mas dá tudo certo. O evento é um sucesso.

Seus familiares estiveram presentes, seus amigos, e você conhece mais um monte de gente bacana por conta do lançamento do seu livro. Sim, sim, lançar o livro te traz muito boas oportunidades e alegrias. Você vende muitos livros, fica cheio de orgulho assinando e escrevendo dedicatórias.

Fica feliz porque todas aquelas pessoas lerão a história que você escreveu, e seus personagens ganharão vida a cada vez que a história for lida. Ah, nesse dia você também chora. Afinal, é muito emocionante lançar um livro. Mas você chora só um pouquinho, por que nem dá tempo, tem um monte de gente querendo falar com você.

Agora o livro, Mais Perto do Coração, está lançado. Acha que o trabalho acabou? Ah, não, não… Está só começando. O trabalho de divulgação continua, você precisa tornar seu livro conhecido para que as pessoas queiram ler. Lá vai você andar muito, falar com um monte gente, dar incontáveis telefonemas, enviar um monte de e-mails…

Perde a vergonha de falar em público e procura lugares para fazer palestra, falar do livro, apresentá-lo ao público. Fala com imprensa, fala com quem precisar. Negocia tardes de assinatura com livrarias. Comparece a todo e qualquer evento para o qual seja convidado, afinal é sempre uma oportunidade de fazer contatos e buscar maneiras de divulgar seu trabalho. Mas esse trabalho todo é muito gostoso.

Infelizmente, você vai ter lidar também com o pouco caso e o desdém de algumas pessoas que nunca tiveram coragem de ir à luta por um sonho. Essas são as pessoas que dirão, pelas suas costas, que você não teve nenhum trabalho para fazer que fez, que sua vida é uma festa, que, com certeza, você recebeu favores de alguém para chegar onde chegou. Te dá um certo desânimo, te deixa um pouco triste. Mas, você sabe muito bem todo o esforço que fez e continua fazendo, lembra de todo o caminho que trilhou e continua trilhando. Segue sua luta para concretizar seu sonhos, pois você sabe o valor que tem, e mais do que nunca, acredita em si mesmo.

 

Sonho Realizado

E é assim, meus caros, que se realiza um sonho. É assim que você o constrói. Seja o seu sonho lançar um livro, ou o que quer que seja que você busque, é com muito trabalho, vontade e determinação que se consegue. Eu ainda estou no comecinho do caminho que quero seguir, mas já consegui lançar meu primeiro livro, me orgulho muito dele, estou feliz e disposta a continuar. A despeito daqueles que fazem pouco de mim, tenho a sorte de ter muitos que me apoiam e incentivam. Eu sei que vou chegar lá.

 Acredite em si mesmo e trabalhe. Muito. Sempre! Você também chega”.

 #renatastourinho #autora #chiadoeditora