Mabel Fierz, amante brasileira, influenciou o escritor George Orwell

Mabel Fierz influenciou George Orwell

Mabel Fierz (1890-1990) tornou-se uma figura importante para o início da carreira do escritor George Orwell, afinal, com um intelecto apurado e senso crítico acima da média foi um alicerce para os escritos do escritor britânico.

Segundo Jeff Meyers, autor da biografia de Orwell chamada Orwell: Wintry Conscience of a Generation, a fonte de informações foram os filhos do casal, Adrian e Fay. Mabel Lilian Sinclair Fierz, nascida no Rio Grande do Sul era filha de pais ingleses.

Nascido Eric Arthur Blair, Orwell, serviu a Polícia Imperial na Birmânia entre os anos 1922 e 1927. Após pedir baixa passou perambulando como um vagabundo sem rumo. Voltou para a casa dos pais, servindo como um guia para famílias que estavam de férias.

Foi nesse período que conheceu Mabel Fierz e seu marido. Orwell pintava uma aquarela na praia quando a conversa deu origem a uma amizade que mudaria a vida literária do escritor George Orwell.

Meyers aponta Fierz como uma importante influência para as obras 1984 e A Revolução dos Bichos leitura obrigatória cuja resenha encontra-se aqui no blog. Jeffrey Meyers em seu prefácio destaca que Fierz foi “primeira mecenas e seguidora”.

O autor da biografia de Orwell destaca que Mabel Fierz foi a mulher mais importante que Eric Arthur Blair encontrou em Southwold.

Mabel Fierz se interessava por movimentos culturais e tinha ideias socialistas. Escrevia resenhas para a revista criada por seu marido e a escritora Katherine Mansfield, “Adelphi”. Seu marido, Francis, era engenheiro na Inglaterra.

A filha do casal, Fay, destaca que a mãe era emotiva, sociável, extrovertida, cheia de vida. Militava nos meios socialistas. Não aceitava um não como resposta.

Segundo Adrian, filho do casal:

“Mamãe era uma defensora enérgica da esquerda, mas não estava livre de certo esnobismo mesquinho e apenas conhecia as questões econômicas fundamentais. Na atualidade [Adrian foi entrevistado por Jeffreys Meyers em 1998], sua atitude a respeito dos pobres seria apontada como paternalista”

Treze anos mais velha que Orwell, Mabel, sentia-se atraída pelo intelecto do jovem que perambulava entre os pobres para poder escrever, afinal, dizia que deveria vivenciar o sofrimento.   Quando Blair sentia-se fracassado Fierz o incentivava a escrever.

A obra Na Pior em Paris e Londres que foi publicado em 1933 foi uma dedicação aos Fierz. O Francis, marido da Mabel Fierz, morreu em 1979 e Mabel Fierz morreu em 1990. Ambos estão enterrados em Surrey, Inglaterra.

Via Zero Hora

Via Jornal Opção