Ficção Científica é um gênero literário?

Ficção Científica

A Literatura é uma forma de interação humana em que a arte é o carro chefe que promove essa relação dialóagica. Os Gêneros Literários ajudam a conceituar essa forma de arte. Por meio de características e estruturas comuns os Gêneros Literários remontam de estudos da Grécia Antiga com Aristóteles em Sua Arte Poética. Partindo do principio que as características e estruturas são comuns podemos dizer que Ficção Científica é um Gênero Literário?

Com intuito didático, a Ficção Científica, FC ou SciFi tem seu marco com a publicação da obra Frankenstein ou O Moderno Prometeu em 1817 pela escritora Mary Shelley cuja história é a de um cientista que tentava recriar a vida utilizando conceitos de alquimia. Outros escritores carregam o título de precursores da Ficção Científica entre eles está Júlio Verne (1828-1905) e H.G.Wells (1866-1946).

Ficção com inspiração na Ciência, cujo enredo se desenvolve em função do desenvolvimento científico, no espaço e no tempo”.

Definir FC mesmo que de forma imprecisa mão é tarefa simples, porém, já teremos alguma ideia se a Ficção Científica é um Gênero Literário ou não. Portanto apontar as características comuns desse Gênero nos dará uma dimensão do que é FC no mundo Literário. Identificar essas características é um passo necessário para sua definição, por isso, falar em Ficção Científica Hard e Ficção Científica Soft é necessário para a sua compreensão.

 

Ficção Científica Hard

FC Hard é um sub-gênero da Ficção Científica cuja caracterização está baseado na precisão científica utilizando áreas do conhecimento como a Matemática, Física, Química Biologia. A perfeição tecnológica é adotada tão intensamente que a realidade humana  as vezes é um mero detalhe. Exemplos desse tipo de Ficção: “Terra Imperial”, “As Fontes Do Paraíso” e “2001 Uma Odisséia No Espaço” de Arthur C. Clarke, “Eu Robô” de Isaac Asimov e o conto “A Ameaça Da Terra” de Robert A. Heinlein.

 

Ficção Científica Soft

A FC Soft é focada nas características mais humanas, ou seja, sentimentos e relacionamentos. Por isso as áreas de conhecimento como Filosofia, Psicologia, Ciência Política, Antropologia e Sociologia são destacadas nesse tipo de sub-gênero. Exemplos: “Um Estranho Em Uma Terra Estranha” e “Tropas Estelares” de Robert A. Heinlein, a série “Fundação” de Isaac Asimov e “Duna” de Frank Herbert.

 

Popularização da FC

A Ficção Científica se popularizou como Literatura na década de 1920 com a criação da primeira revista do gênero criada em 1926, nos EUA, por Hugo Gernsback chamada Amazing Stories. A linha editorial da revista  se baseava em entretenimento e instrução, ou seja, Gernsback acreditava que a Ficção Científica pudesse ser educativa. A troca de cartas entre os fãs da revista popularizou o Gênero de forma intensa.

Para Isaac Asimov a FC era dividida em três períodos: Era Clássica (até 1926), Era Gernsback (1926 a 1938) e a Terceira Era (1938 até os dias atuais). Essa classificação foi feita em função das revistas especializadas da época que começaram a surgir durante a Era Gernsback, bem como as adaptações para o cinema e televisão a partir da Terceira Era. É importante salientar que Gernsback cunhou o termo Ficção Científica em 1929.

Há outras classificações que delimitam a história da Ficção Científica, aliás, o assunto não se encerra com este post. O propósito é fomentar outras discussões e análises sobre a Ficção Científica. É claro que definir FC apenas com esses dois sub-gêneros é muito pouco para o que ela representa. Há muitos outros que ao longo do tempo passará aqui no Blog. O que vale ressaltar é que a FC se tornou um dos gêneros preferidos dos leitores por abranger uma infinidade de possibilidades de pensamentos.

Considerando as estruturas e características que a Ficção Científica carrega podemos dizer que sim. É um Gênero Literário e como tantos outros não se encerra apenas com algumas explicações. Vai muito além do que foi dito. O que proponho é abranger essas discussões e tornar a Ficção Científica um Gênero Literário de destaque, inclusive, no meio acadêmico onde aos poucos vem ganhando espaços de discussões. Até lá cabe propagarmos essa Literatura tão fascinante.

 

Até a próxima.

 

 

Comments

comments