Bile Negra do escritor e psiquiatra Alexandre Loch

Bile Negra

Dias atrás fui agraciado com uma obra chamada Bile Negra do Psiquiatra, Filósofo e Escritor Alexandre Loch e não me arrependi, pois foi uma leitura prazerosa e intensa.  O livro aborda um tema que gosto muito; reflexão de questões existenciais.

Afinal, o que é Bile Negra?

Durante o século 4 a.C foi desenvolvida uma teoria na qual a vida era mantida pelo equilíbrio de quatro humores: Sangue, Fleuma, Bílis Amarela e Bílis Negra. Cada humor tinha uma qualidade diferente e a predominância de um ou outro causaria problemas de saúde.

Para os antigos estudiosos, a melancolia do grego mélas “negro” e cholé “bílis”, bem como outras angustias era um desequilíbrio da Bile Negra. No campo da filosofia Arthur Schopenhauer defendia que a angústia era um estado normal, pois ele acreditava que viver era sofrer, pois não possuía nenhum sentido.

E quando a predominância é a Bile Negra?

A maioria das pessoas vive em áreas urbanas, concentradas em pequenos espaços, disputando cada palmo para sobreviver. E os desafios aumentam quando você é um recém-chegado à cidade grande. Alexandre Loch procura na voz de Iago expor esses desafios e propõe uma reflexão sobre questões existenciais.

Já nas primeiras páginas nos leva a questionar os motivos que uma pessoa entra num estado melancólico, um estado que é caracterizado pela falta de entusiasmo.

“As cores perdem a sua vivacidade, a sua vitalidade, parecem aproximar-se todas de um mesmo tom morto, morno, cru. Os sons ficam mais distantes, as pessoas estão mais distantes.”

Uma hipótese seria as grandes cidades que concentra milhares de pessoas num pequeno espaço em busca de sucesso a todo custo. “Como todos dizem, havia muita gente, mas ao mesmo tempo, ninguém.” É fato que nos grandes centros, pelo modelo que vivemos, parece não haver espaço para as interações. As pessoas estão sempre com pressa e com algum aparelho tecnológico que oculta o convívio humano.

 

Bílis Bile Negra do escritor e psiquiatra Alexandre Loch

 

Nas páginas seguintes outra reflexão veio à tona. O ambiente é capaz de moldar o homem? Uma pessoa que veio de uma família desestruturada carrega os conflitos vividos para a vida toda?

Numa parte do livro lembrei-me da obra de Fiódor Dostoiéviski, Crime e Castigo, na qual um jovem que vivia num ambiente desestruturado formula uma teoria absurda para conseguir equilibrar a sua vida, aliás amigos leitores, esse personagem tem a bile negra fora do normal.

São tantas reflexões que numa parte do livro você tem que parar de ler e organizar suas ideias para seguir em frente, pois você começa a questionar tudo em sua volta e a forma como a vida é robotizada. Ao percorrer a narrativa, outros personagens se encontra com o protagonista e cada um expõe de forma sombria seus problemas existenciais. Como numa sessão de terapia as reflexões vão se apresentando.

Eu classifico um livro excelente quando ele de alguma forma reverbera e possibilita inúmeras reflexões. Bile Negra de Alexandre Loch é um desses livros. Com uma profundidade tão intensa que nos leva a pensar em várias áreas do saber. Convido você a ler essa obra e deixar suas impressões nos comentários, afinal, a angústia é inerente a todo ser humano?

 

Boa Leitura.

 

Comments

comments